Meme Gamer: O Que Você Jogou em 2020

Nas idas do começo de 2020, dono de um delicioso novo Mega Drive TecToy, meus planos para com videogame eram surreais. Eu queria jogar muito mais do que joguei em 2019, iniciar um podcast gamer próprio, entre outros. Se tu leu minha listagem de jogos que joguei em 2019 no Meme Gamer 2019, tu sabe que eu joguei para um fucking caralho!

Infelizmente 2020 tinha outros planos para mim e isso nos leva ao atual texto do Meme Gamer 2020 (entregue com atraso). A lista será muito mais enxuta do que em 2019, não somente por ter jogado substancialmente menos, mas também por não incluir todos os jogos do ano em efetivo.

No texto desse ano resolvi criar a lista incluindo somente os jogos que eu achei mais importantes que joguei ao longo do ano de 2020. Os que ganharam um texto aqui no blog, terão a devida referência na listagem.

Sem mais delongas, vamos ao Meme Gamer de 2020 do “A TV Vai Estragar!”.

Devil May Cry 2 HD – Playstation 4

Em 2020 aproveitei uma promoção e comprei Devil May Cry HD Collection pensando em platinar novamente o terceiro game da franquia (sou apaixonado em saporra!). Eis que a primeira coisa que eu resolvi, por algum motivo, fazer foi revisitar Devil May Cry 2.

O jogo é pior do que eu me recordava, mas vejam só, o platinei. Demência é o nome disso.

Para ler o texto que essa “aventura” gerou, basta clicar AQUI.

Prince of Persia: Warrior Within HD – Playstation 3

Mais um jogo que resolvi revisitar nesse ano. Mais um jogo que eu já achava ruim e que me pareceu pior atualmente.

Nunca fui fã de Warrior Within. A personalidade do príncipe é tenebrosa, a trilha sonora não tem absolutamente nada de Prince of Persia, entre outros tantos problemas. Jogá-lo atualmente me fez perceber que esses problemas todos ficaram muito mais(…).

Peraí, isso tem texto aqui no blog também. Clique AQUI para conferir.

Call of Duty: Warzone – Playstation 4

Eu tentei, juro. Mas não deu. Eu mantenho algumas diretrizes gamer:
1 – Não gosto de Call of Duty
2 – Não gosto de Battle Royale modernos (sim, dos modernos, porque Bomberman é do caralho!).

Eu entendo o apelo desse tipo de jogo.
Eu entendo de verdade o porquê alguém pode adorar esse Warfare.
Mas não funcionou comigo.

Titanfall 2 – Playstation 4

Graças a um lançamento desastroso por parte da sempre incompetente EA, quando Titanfall 2 chegou ao mundo ninguém ligou.

O jogo conta com um competente multiplayer, que eu pouco joguei porquê não ligo, e uma campanha single-player absolutamente divertida. A dinâmica entre se jogar com o piloto e o Titan é fluída e ambos os gameplays funcionam perfeitamente.

É um jogo imperdível para quem curte um bom FPS.

Senran Kagura Burst Re:Newal – Playstation 4

Burst Re Newal é um Hack and Slash de arena simplório e divertido que eu não dava quase nada por ele antes de jogar, mas que acabei gostando tanto que sua jogatina culminou em mais uma platina na minha conta.

Esse jogo rendeu um texto aqui no blog, que você poderá ler clicando AQUI.

Ratchet & Clank – Playstation 4

Remake para Playstation 4 do jogo de mesmo nome, lançado em 2002 para Playstation 2, Ratchet & Clank é um dos jogos que fazem a minha fama de ranzinza.

O jogo é absolutamente lindo e competente no que cerne a gameplay, mas o carisma dos personagens, ponto alto do jogo original, foi completamente esquecido e isso me incomodou horrores. A mudança de perspectiva narrativa também não agradou.

Se você não jogou o game original no seu período de lançamento (ou se jogou mas não se recorda muito bem mais do jogo em si) é compreensível que ache a versão do Playstation 4 uma obra prima do gênero, até porquê ele é realmente muito bom. Infelizmente eu não consegui me esquecer de o quão os personagens eram carismáticos e divertidos, tão pouco consegui não comparar uma versão com a outra, e na comparação faltou carisma (e muito) para esse remake de Ratchet & Clank.

Streets of Rage – Master System

Ao final de 2020 comprei para mim mesmo como presente de Natal um Pocket Go (que ainda está sendo testado e que talvez ganhe um texto aqui no A Tv Vai Estragr, o blog que menos bloga da internet). Uma das primeiras coisas que vieram a minha mente quando ele chegou foi: vou conseguir compensar um grande gap gamer meu que é mal ter jogar Master System na vida.

O primeiro jogo do console que fiz questão de jogar foi Streets of Rage. Sempre tive curiosidade acerca da versão desse clássico dos 16 bits para o 8 bits da Sega. E não é que dadas as capacidades técnicas do console o jogo é muito bom?!

Todas as fases da versão do Mega Drive estão presentes, bem como todos os personagens e inimigos (há inclusive um chefe inédito). Os efeitos sonoros são bons e as versões das músicas presentes possuem boa qualidade considerando as limitações de hardware.

A jogabilidade pode ser um incomodo inicialmente, pois demanda de um ritmo próprio e a sensação de impacto ao golpear é estranha, mas após se acostumar com isso a jogatina rola sem problemas.

Castlevania: Lords of Shadow 2 – Playstation 3

Joguei LotS2 em seu lançamento e não o achei nada ruim. Apesar das inconsistências de ritmo narrativo, dos cenários genéricos enquanto o jogo se passa fora do Castelo do Drácula e dos fracos trechos de steath, o sistema de combate parrudo, a trilha sonora imponente, o belo visual e a história em si me cativaram o suficiente.

Revisitando-o em 2020 o apreciei ainda mais. Os problemas continuam lá, mas não me atrapalharam a curtir o game no geral.

O que eu achei mais engraçado nessa história de revisitar LotS2 foi o motivo pelo qual a vontade surgiu: Assistir um dos trailers pré-lançamento do jogo (clique AQUI para o dito cujo). Os trailers de LotS2 são épicos demais.

Space Channel 5 Part 2 – Playstation 3

Recorrentemente jogo Space Channcel 5 Part 2, apesar de não tê-lo jogado no ano passado. É um dos meus jogos rítmicos favoritos e me trás boas recordações de um passado glorioso em que eu e meu Dreamcast (um dos meus consoles favoritos) éramos inseparáveis.

“Up Down Up Down Chu Chu Chu”!

Popeye – Nintendinho

O Pocket Go também tem uma outra importante função na minha vida: reviver bons momentos do meu passado gamer de maneira portátil (sem ser no celular). Ao contrário do Master System, minha relação para com o Nintendinho foi muito próxima.

Popeye no Nintendinho é uma honestíssima conversão do jogo para Arcade e considerando as limitações do 8bits da Nintendo ele se sai muito bem.

O objetivo é simples: em cada uma das fases colete o que a Olívia Palito estiver jogando para Popeye, não deixe Brutus te pegar e caso seja preciso use o Espinafre sem dó e nem piedade!

Fatal Fury Battle Archives 2 – Playstation 4

Se há uma empresa que abusa com relançamentos de seus jogos clássicos é a SNK. Bom, considerando que eu comprei Fatal Fury Battle Archives 2 para PS4, essa “safadeza” funciona.

Pessoalmente falando essa coletânea contém os melhores jogos da melhor franquia de fighting games da SNK: Real Bout Fatal Fury, Real Bout Fatal Fury Special e Real Bout Fatal Fury 2: The New Comers. Esses três jogos são basicamente o reboot da história dos três primeiros jogos da franquia e são espetaculares.

Infelizmente Battle Archives 2 para PS4 é o mesmo jogo já lançado para PS3 e que era o mesmo jogo lançado previamente para PS2 (parte dos pacotes do Neo Geo Anthology, salvo engano), ou seja, nada de jogatina online. Dada a qualidade dos jogos, uma boa e velha jogatina single-player vale demais a pena, entretanto seria delicioso que esses games tivessem um lançamento como Garou: Mark of the Wolves o teve.

TMNT: The Arcade Game – Nintendinho

TMNT: The Arcade Game é a conversão do icônico game de Arcades da Konami para o console 8 bits da Nintendo. Não apenas possui todas as fases da versão de fliperama, como tem uma fase inteiramente nova (o que inclui um chefe novo).

Esse é o primeiro jogo em que me recordo de jogar com minha avó cooperativamente. Foi a partir desse jogo que eu e “minha velhinha” nos tornamos parceiros de tudo quanto é jogo de Beat’em Up que passe na nossa frente.

The King of Fighters XIII – Playstation 3

The King of Fighters XIII é o melhor fighting game da geração passada de consoles e ponto final. Sim, eu sei que Street Fighter IV é dessa mesma geração e mantenho a frase que acabei de proferir.

Em 2020 consegui novamente uma cópia desse jogo e apesar do netcode dele ser tenebroso e eu não possuir mais meu controle para jogos de luta (RIP meu adorado Hori) o jogo é tão bom que mesmo assim vale a pena jogá-lo em seu modo Arcade e tentar sobrepujar os desafios que combos (difíceis e complexos, assim como KoFXIII o é para ser masterizado).

PS: As animações em 2D desse jogo são incríveis. Fighting games em 2D puro infelizmente estão à beira da extinção.

Fight´n Rage – Playstation 4

Em um enclausurado dia no ano de 2020 estou eu a procurar um jogo dentre os tantos e eis que tropeço em um Beat’em Up que me chama a atenção. Eu já havia visto algo sobre o dito cujo, então resolvi “pagar para ver”.

Fight´n Rage me foi uma agradabilíssima surpresa.

O jogo possui um caminhão de conteúdo para ser desbloqueado jogando (DLC de c# é rol#), um sistema de combate rico para explorar, visuais agradáveis em um belo 2D, uma trilha sonora pesada e muito bem composta e uma dificuldade acima da média que realmente desafia e obriga o jogador a entender e aprender o sistema de combate adequadamente.

Qualquer gamer que realmente curte um bom jogo do gênero deve dar uma chance a Fight´n Rage.

Ride 2 – Playstation 4

Há muito tempo eu não me empolgava com um jogo de corrida de moto (pretenso simulador ou não). Drive Club Bike foi no máximo legalzinho e Moto GP 18 não me empolgou. Ainda assim, por algum motivo, resolvi comprar Ride 2 (um jogo relativamente antigo) em uma boa promoção.

O jogo peca em conteúdo e em variedade de motos por classe / tipo, mas permite estabelecer o quão realista a simulação será, possui boa variedade de classes / tipos de motos, boa sensação de velocidade e bom desafio. Infelizmente não há somente eventos de corridas (eu detesto eventos de “demonstração de habilidades”), mas as corridas são bem divertidas.

Passa longe de ser um game perfeito, mas me motivou a jogá-lo por um bom período de tempo, bem como adquirir em uma outra promoção seu sucessor, Ride 3.

Devil May Cry 3 HD – Playstation 4

Até a chegada de Devil May Cry 5, o pináculo do gênero Hack and Slash, pessoalmente falado, era Devil May Cry 3. Sou absolutamente apaixonado pelo game, não me canso desse infeliz. Já o platinei por duas vezes no Playstation 3. Na verdade só não o platinei pela terceira vez, agora no Playstation 4, porquê não tive tempo o suficiente para tal, mas acontecerá em 2021, tenha certeza.

Há poucas certezas que posso projetar na vida no ano de 2050, nem sei se estarei vivo até lá, mas se estiver eu garanto que serei o gamer em atividade mais idoso do mundo que ainda joga Devil May Cry 3. Eu jamais me cansarei desse jogo.

Final Fantasy XV: Episode Ardyn – Playstation 4

FINAL FANTASY XV_20190404183857

Finalmente em 2020 adquiri o DLC final de Final Fantasy XV depois de a Square-Enix dar uma de babaca e cancelar todos os outros (#fiqueiputocomisso).

Esse é facilmente o melhor dos DLCs do game. Temos aqui verdadeiramente respostas para as principais perguntas sobre o mundo de Final Fantasy XV (que ironicamente o jogo em si não responde) bem como aprendemos o quão profundo e interessante é o background de Ardyn.

As revelações que acontecem nesse DLC me foram tão interessantes e intrigantes que eu acabei adquirindo o livro que conta a história dos outros DLCs que foram cancelados e que dão um novo final para o jogo.

Infelizmente o livro não possui tradução para o português. Para quem se interessar o nome do mesmo é “Final Fantasy XV: The Dawn of the Future” e pode ser encontrado a venda na Amazon Br.

Super Street Fighter 2 Turbo HD Remix – Playstation 3

Street Fighter 2 para mim é tão necessário quando água ou oxigênio, eu não vivo sem. Dito isso um dos jogos que mais jogo em meu PS3 é SSF2TurboHDRemix.

Em resumo: É um Super Street Fighter 2 Turbo redesenhado.

Esse é mais um jogo que ganhou texto aqui no blog em 2020. Para lê-lo, basta clicar AQUI.

Street Fighter 30th Anniversary Edition – Playstation 4

Essa fucking coletânea é absolutamente obrigatória para qualquer ser humano que:
A – Se interesse por Street Fighter.
B – Seja apaixonado por Street Fighter.
C – Street Fighter, porra!

Escrevi um texto sobre SF30th Anniversary Edition em seu período de lançamento para a Game Hall. Para maiores detalhes, clique AQUI.

Tekken 3 – Playstation

Eis o jogo que fez com que a franquia Tekken se tornasse o ícone dos fighting games que o é hoje.

A versão de Tekken 3 para Playstation é quase um milagre tecnológico. É claro que os chars são construídos com menos polígonos, assim como os cenários  não são construídos tridimensionalmente, mas ainda assim o jogo e belíssimo rodando no console da Sony.

O gameplay afiado e diversidade de personagens já garantiriam um jogo de sucesso, mas a Namco não se acomodou e entupiu Tekken 3 para Playstation de modos extras, CGIs incríveis de finalização para cada personagem e uma intro icônica. Sério, a intro do jogo é demais, dá uma olhada AQUI.

Tekken 7 – Playstation 4

Infelizmente no primeiro trimestre de 2020 meu Hori Fighting Commander 3 Pro apresentou um problema não reparável e desde então eu mal coloquei a mão em jogos de luta atuais os quais eu tenho real interesse em praticar e “competir”. Apesar disso ainda dei algumas jogadinhas de Tekken 7.

Tekken 7 ainda me é o melhor fighting game dessa geração e a fraquia possui o meu personagem de jogo de luta favorito (Lei Wulong), por isso é tão difícil eu me manter longe do jogo, mas eu não consigo jogar no DualShock 4. Maldita memória mecânica!

Enfim, joguem Tekken 7!

Fall Guys: Ultimate Knockdown – Playstation 4

Um jogo grátis (pelo menos já o foi), simplório e divertido. Ponto final.

Honestamente, jamais entendi o como ele virou a febre enlouquecida que por um bom período de tempo o foi. Tentei jogar algumas vezes, foi divertido, mas rapidamente o jogo se tornou tedioso e eu o deixei de lado para todo o sempre.

Os Cavaleiros do Zodíaco: Alma dos Soldados – Playstation 4

Alma dos Soldados me rendeu uma das minhas maiores frustações no Playstation 3. Eu queria muito platinar esse infeliz mas ficou faltando o maldito do troféu de coletar todas as “Frases de Ajuda”. Uma maldita frase somente.

Aproveitei uma promoção da PSN e adquiri Alma dos Soldados para PS4, que é basicamente o mesmo jogo do PS3 rodando em 60fps, em full-HD e sem os eventuais problemas de sincronia labial presentes no console da geração anterior.

É um jogo divertido, que agrada o fa do anime e a quem gosta de Arena Fighting Games. E sim, dessa vez eu platinei esse infeliz.

Há uma postagem sobre esse jogo aqui no blog, que leva ao review que fiz na época do lançamento do jogo para o Game Hall. Caso se interesse, basta clicar AQUI.

Kingdom Hearts 1.5 – Playstation 4

O lance é o seguinte: Kingdom Hearts é a franquia com a história mais “sem pé nem cabeça” da história dos vídeogames, mas o conceito que dá “liga” à tudo é tão único e os jogos são tão divertidos (me limito a falar de KH e KH2 aqui, deixo claro).

Jogar Kingdom Hearts 1.5 atualmente foi interessante. Ainda adoro o jogo, adoro os mundos, adoro as trilha sonora, adoro até mesmo o plot desse jogo. Entretanto os problemas do jogo também ficaram mais visíveis, mesmo que pessoalmente isso não tenha diminuído nem um pouco a minha diversão.

Tenho KH e KH2 em lugares bem especiais no meu coração. Por sorte, revisitar o primeiro jogo não estragou minhas lembranças. Espero que o mesmo aconteça com Kingdom Hearts 2.5.

Final Fantasy VIII Remastered – Playstation 4

Apesar das críticas para com o sistema de Junction (com as quais eu não compactuo) Final Fantasy VIII é um dos jogos mais amados da franquia e o lançamento da versão Remastered foi recebida com grande entusiasmo pela comunidade.

O trabalho aqui realizado pela Square-Enix é similar ao visto para com Final Fantasy IX: Os personagens ganharam uma nova construção poligonal muito bonita, as texturas dos elementos tridimensionais são muito bem definidas (considerando o jogo base) e até mesmo as cenas em CGIs foram muito bem remasterizadas. Infelizmente os problemas também estão presentes como os cenários pré-renderizados meio nebulosos visualmente e a inhaca do jogo não reconhecer a movimentação livre do analógico.

Jogar FFVIII Remastered foi delicioso. Só não foi perfeito porquê o idiota aqui passou do ponto adequado que permitia zanzar livremente pelo mundo para jogar o maldito jogo de cartas e platinar o jogo.

Yakuza 6: The Song of Life – Playstation 4

Livre da necessidade de jogar Yakuza 6 para fazer review, pude jogá-lo como se deve jogar um game da franquia: explorando tudo, fazendo todas as side-quests e aproveitando ao máximo das atividades extra que Kamurocho oferece.

Já falei isso em outras ocasiões e reafirmo aqui: Yakuza é a melhor franquia moderna japonesa de games.

The Song of Life é o fim da historia de Kazuma Kiryu e ela é incrível. Tecnologicamente a nova engine do jogo permite uma experiência mais fluente de jogo, livre de loading times a cada local que se entra ou a cada combate que acontece se inicia.

O jogo é abarrotado de conteúdo e oferece bem mais que 100 horas de jogo para quem realmente queira explorar tudo o que há para ser explorado.

Hokuto no Ken: Lost Paradise – Playstation 4

Se Yakuza Zero tivesse mais sangue, mais gore e mais “atatatata!” e se passasse na cidade do Eden ele seria Hokuto no Ken: Lost Paradise, simples assim. Sempre tive interesse no jogo e eis que finalmente ele apareceu em uma boa promoção da PSN em 2020.

O jogo em si não é tão bom quanto os Yakuzas atuais pois a história não é tão interessante o quanto, entretanto no que cerne a conteúdo ele é equivalente. O sistema de combate é ótimo e retrata muito bem o quão especial é o Hokuto Shinken como arte marcial suprema.

Pretendo ainda fazer um texto dedicado a Lost Paradise aqui no blog.

Devil May Cry 5 – Playstation 4

Retornei nesse ano de 2020 ao jogo que representa o pináculo do gênero Hack and Slash dadas as duas principais DLCs do jogo: Bloody Palace e Vergil.

Confesso que joguei muito pouco do Bloody Palace. Na real não sou o maior fã do dito cujo. É divertido e tal, mas é muito longo e fica chato no meio do caminho. Já com relação a Vergil e história é diferente, ele finalmente é um personagem jogável de Devil May Cry 5 e ele é o melhor e mais divertido fucking char do jogo.

Mecanicamente ele é um mix entre suas versões de DMC3 e DMC4, com uns extras necessários. Há mais formas de usar a barra demoníaca e mais habilidades a serem adquiridas. Possui três armas combate corpo a corpo e(…) velho, é o Vergil e ele é foda!

Refazer todas as fases novamente controlando Vergil, basicamente passando por cima de inimigos que traziam algum perigo aos outros personagens (em especial V), foi uma experiência pela qual valeu a pena pagar.

Zone of the Enders 2: The Second Runner MARS – Playstation 4

Meu jogo de Mechas favorito finalmente ganha uma versão em HD decente (a versão do PS3 / X360 é uma vergonha), rodando em constantes 60fps e com um ótimo trabalho aplicado nas texturas para garantir que o jogo impressione em 1080p mesmo sendo originalmente um jogo de PS2.

A versão de PS4 conta também com a adição de um modo voltado a Realidade Virtual que eu não pude testar porque não tenho e não terei os óculos de Realidade Virtual do console.

Eu gosto tanto de Zone of the Enders 2 que não importa quantos relançamentos a Konami o faça para “milkar” dinheiro dele, eu sempre vou acabar comprando.

Death Stranding – Playstation 4

Eu sei que esse jogo apareceu no Meme Gamer 2019, mas é que as 300 horas que eu passei jogando Death Stranding até finalizá-lo / platiná-lo me fizeram jogar bastante esse danado nesse ano de 2020 também.

Já deixei claro no texto do ano passado o quão adorei Death Stranding e o quanto mais o joguei melhor ele ficou. Ao longo desse ano fiz um texto acerca das minhas opiniões sobre do jogo que você pode conferir AQUI.

PS: A Hideo Kojima game.

Final Fantasy VII Remake – Playstation 4

Final Fantasy VII Remake é uma verdadeira aula sobre como fazer um remake. Ele não somente expande o universo original, apresentando ao jogador de uma forma muito mais vívida seus personagens e suas vidas, mas também tem o culhão de mudar a história (não gratuitamente, há fundamento e justificativa para isso) de forma a deixar até mesmo o fã antigo do game original com a sensação de frescor de um jogo novo mesmo em sua narrativa.

Alguns dos melhores e mais empolgantes momentos que tive para com videogames nessa geração vieram desse jogo.

O jogo é belíssimo, o sistema de combate é a união perfeita entre o “real time action” e o sistema de turnos, a história tem bom ritmo e há surpresas interessantes ao longo do caminho. É verdade que alguns capítulos do jogo claramente server para esticar mais tempo de jogo (apesar de serem no geral divertidas), mas no geral isso não influencia, aos meus olhos, a avaliação final da obra.

Final Fantasy VII Remake é um ótimo jogo para quem quer iniciar na franquia, para quem já é iniciado na franquia e gosta de um bom RPG moderno e também para quem já é fã de velha data do jogo original.

Joguem saporra!

Shenmue 3 – Playstation 4

Faz assim, pega todos os elogios que eu dei para Final Fantasy VII Remake, inverte e aplica aqui.

Sou um fã inveterado dos games originais para Dreamcast, bem como de Yu Suzuki. Infelizmente Shenmue 3 me mostrou que Yu Suzuki não entendeu as evoluções pelas quais o mundo do entretenimento eletrônico passou e com isso Shenmue 3 sofreu muito.

O meu maior sonho gamer se transformou na minha maior decepção gamer em 2020. Só quem me conhece há tempos sabe o quão me dói constatar o quão Shenmue 3 fracassou na entrega de absolutamente tudo o que dele se esperava (ou pelo menos que eu esperava).

Escrevi um texto ao longo de 2020 sobre Shenmue 3. Caso se interesse em lê-lo, basta clicar AQUI.

Streets of Rage 4 – Playstation 4

Esse é o jogo que eu mais estava aguardando para jogar em 2020 e graças a Zeus o jogo atendeu todas as minhas expectativas e por certo foi o meu pessoal GOTY de 2020.

Sou apaixonado por Streets of Rage e por muito tempo sonhava com um jogo atualizado. Em algum momento da vida simplesmente desisti e me esqueci dessa ideia. No momento em que o primeiro trailer de SoR4 surgiu todos os meus sonhos voltaram com a força triplicada. Eu literalmente só pensava nesse jogo.

Já com o jogo em mãos em “day one” eu comecei a jogar e só parei…, bom, ainda não parei.

Tudo o que eu queria está lá: Belos visuais 2D (belos pra karai!), um nível de animação muito bom, sistema de combate rico, muitos personagens disponíveis, desafiador na medida certa e com uma trilha sonora fucking foda.

A equipe de desenvolvimento já informou que DLCs virão. Eu vou comprar todos no dia em que forem lançados com um sorriso de orelha a orelha. Inclusive já estou jogando dinheiro no monitor para essas DLCs por agora, mas infelizmente nada está acontecendo.

Espero que com o sucesso de crítica e de vendas de SoR4 a Sega terceirize mais franquias para passarem pelo mesmo tratamento de luxo pós-moderno (Golden Axe, por favor…).

 


=== Participantes do Meme Gamer 2020 ===

A TV Vai Estragar! => Eduardo Farnezi (Você está aqui!)
Arquivos do Woo => Diogo Batista “Cyber Woo”
Arquivos do Woo => Tony Horo
Arquivos do Woo => Geovane Sancini
Gamer Caduco => Caduco
Indiesgraça => Angelo
MarvoxBrasil => Marvox
RetroSabat => Sabat
Vão Jogar! => Tchulanguero
Vão Jogar! => sucodelarAngela
Videogames com Cerveja => Felipe B. Barbosa
Alvanista => João Carlos “UsoppBR”

Gamer por paixão, cinéfilo por vocação, leitor de mangás e HQs por criação e nerd pela somatória dos fatores. Acredita que os únicos possíveis cenários de apocalipse são Zumbis e Skynet e não sai para noitadas por medo do que Segata Sanshiro pode fazer se encontrá-lo.

Marcado com: , ,
Publicado em Artigo, Gamerniaco, Meme Gamer
5 comentários em “Meme Gamer: O Que Você Jogou em 2020
  1. Minha tese de que Street of Rage 4 marcou toda a geração retrogamer brasileira se mantém. Está em todas as listas! Kkkkkk Muito bom.
    Senran parece ser ótimo e com um incrível senso de humor.
    Rapaz. Quero muito jogar Streets do Master System, tinha até esquecido que existia! Pode jogar pedras em mim!
    Tartarugas do Nintendinho é outra pérola. Parabéns por trazer NES para esse MEME.
    Adorei o formato com os jogos que mais te marcaram em 2020. Vou dar uma conferida nos links aí. Abração!

    Curtir

  2. Gamer Caduco disse:

    Putz mano, como é complicado a gente ter todo um planejamento na cabeça e as coisas saírem completamente diferente.
    Hj mesmo de manhã eu tava pensando no que eu pretendo jogar ao longo do ano, mas tenho certeza que essa lista vai ser totalmente furada! haha
    Mas triste mesmo é que o podcast não saiu, esse eu iria querer conferir pô! Torcer pra sair em 2021!
    Bom, vou manter a tradição anual, comentar todos os jogos, “traduzir” os nomes bem toscamente, etc…
    – Demônio Chorão em 2 de Maio: platinar jogo que não gosta é masoquismo puro! huahuahuahua! Preciso jogar os 3 DMC ainda, pior que peguei a coletânea do PS3 e tá lá, lacradona, até hj.
    – Príncipe dos Tapetes Persas – Guerreiro Bifinho: bom, se vc não é fã deste particularmente, eu não curti nenhum dos Prince of Persia modernos! rs
    – Chamada para Impostos na Zona: eu faço das suas palavras as minhas! Exatamente as mesmas!
    – Segundo Outono da Banda Titãs: passo! Mas imagino que seja bacana pra quem curte.
    – Segura na Renovação do Busto: hmmmm… pareceu interessante, vou olhar o texto com calma e botar o jogo na lista.
    – Raquete em Clãs: se vc é ranziza, o que sou eu? Eu não vejo graça nenhuma nestes personagens! kkkkk
    – Rua da Fúria, 1 – CEP 01234-666 – Bairro Otchobites: tá, tá bom, vou dar uma chance pra ele! hahaha! É um dos jogos de Master que eu tento e não me empolgo, até pq eu lembro da obra prima no Mega e me dá aquela coceira básica. O tal incômodo que vc mencionou sempre me faz parar com uns 5 minutos de jogo.
    – Castelo da Vânia – Sombras de Lodo 2: simmmm os trailers são fodas demais, o jogo em si eu gosto também, só que menos que o primeiro. Ainda não consigo entender a bronca que muita gente tem do jogo, as vezes parece que é a velha desculpa do “ain o combate é igual gódi ófi uóóórrrr, num quéééruuuu”.
    – Barra de Espaço 5 em Duas Partes: um dos meus maiores pecados é a série, aliás, o Dreamcast quase inteiro…
    – Zóio Popular: engraçado como eu me matei de jogar isso no Atari 2600 e nunca tentei o de NES. Um dia quem sabe?
    – Arquivo Confidencial das Batalhas de Fetos Enfurecidos 2: caraca, os caras gostam de só arrumar uns detalhes pequenos e lançar a mesma coisa na geração corrente, não? haha
    – Tartarugas de Fliperama: um baita clássico! Trazendo memórias antigas então, mais sensacional ainda.
    – Xiiiii, Olha o Cara Se Acha O Rei dos Lutadores: esse jogo é lindo mesmo, pena que eu sou uma piada em jogos de luta, ESPECIALMENTE em KOF.
    – Luta dos Pajés: acaba de entrar na minha lista. Obrigado pela dica!
    – Carona de Novo: também não curto demonstrações de habilidades em jogos de corrida, então vou passar.
    – Demônio Chorão em 3 de Maio: vc jogou 1512000 vezes e eu ainda não tirei a coletânea do plástico… aposto que vc platinou a terceira vez enquando eu escrevo este pequeno comentário! rs
    – XV de Piracicaba – Episódio do Ardinho: tô devendo jogar até a campanha principal. Duro é a fuga de jogos longos.
    – Rua do Super Lutador, 2 – Bairro Turbo – Remix, HD: jogo lindo, jogo formoso!
    – Rua do Aniversário, 30 – Bairro Lutador – Edição, TH (vários endereços neste comentário, não?): eu adoraria, mas tô fugindo também de jogos de luta, dada a minha incapacidade com o gênero, apesar da paixão pela franquia e seus personagens.
    – Teu Ken Três: eu tenho boas memórias desse jogo, mas não consigo me apegar a Tekken, não sei pq.
    – Seteu Ken: esse eu não joguei, e ainda estou curioso quando que sai o Tekken x SF… provavelmente dia 30 de Fevereiro de algum ano no futuro, vulgo dia de São Nunca, né? kkkkkkk
    – Outono Daquele Ninja do Final Fight – Ultimadamente Nocauteado: não duvido que seja divertido, mas não sou o público dele… rs. Aliás, bem lembrado o que falou sobre ser gratuito. Achei bem estranho quando começaram a cobrar, mas enfim….
    – Os Cavalheiros do Horóscopo – A Minha Alma Tá Armada e Apontada Para A Cara do Morcego: caraca, imagino o tamanho da frustração. Ainda bem que pôde compensar isso no PS4. Eu joguei só no PS3 mesmo, foi bem legal até encher o saco! kkkk
    – Copas do Domínio do Rei – Nota 1.5 (nota da minha tradução): viiish, eu detesto KH… kkkkk. Não se ofenda com isso, por favor, ainda mais com 1 e 2 no coração.
    – Draw Fantasy VIII Vale a Pena Ver de Novo: xiiii, mais um que eu não gosto… lembro até hj de chegar no último chefe e ficar tão puto que apaguei o save antes de terminar pq eu não conseguia mais coletar as GFs e não queria ficar fazendo grind pra subir de nível os personagens que deixei no banco de reservas a nove… digo… o jogo inteiro! rs
    – Não Me Acusa Ocêis – A Vida é Uma Canção: como assim melhor franquia japonesa? E Sonic, com os maravilhosos jogos 3D dele? hauhuhahua. Zoeira a parte, Yakuza me causa um sentimento misto: nunca joguei, tenho a sensação que vou adorar se experimentar, não consigo me empolgar o bastante pra comprar qualquer um dos jogos dela e ver qual é. Faz sentido? Não, né? Mas é assim que a coisa acontece, vai entender…
    – Bicuda no Ken – Perdido na Estação Paraíso: se um dia eu experimentar Yakuza e gostar, vou experimentar este aqui também, certeza.
    – Demôn… tá, já traduzi outros dois, vc já sabe: quero jogar, com DLC ou não. Quando vi a demo na última BGS que fui, achei espetacular. Muita gente se arrebentando no chefe que aparece sem passar dele, eu inclusive… haha.
    – Zona dos Finalistas – Segunda Corrida no Mar: outra franquia que eu me pergunto se devo ou não conhecer. Legal que fizeram uma versão HD de respeito, acaba chamando a atenção dos pangaré que não jogaram, tipo eu! haha
    – PAC (Correios) Man: mais um jogo By Kojima ignorado pela minha pessoa! rs
    – As Aventuras do Cláudio com Temaki: preciso jogar saporra mesmo, falta só comprar e criar vergonha na cara, pq a demo eu adorei!
    – Sem Moer 3: o I, o II, o III… não joguei, adoraria, não sei pq não começo! rs
    – GOTY of Rage 4: QUEREMOS DLC… QUEREMOS DLC… QUEREMOS DLC!!! huahuahuaahu… que jogo foda, caraca, meu GOTY também!
    Bom, é só tudo isso…
    Gostei bastante da lista, apesar de ter resmungado de algumas opções. No fim saí com umas anotações aqui pra comprar e jogar, inclusive um que eu desconhecia.
    Valeu Farnezi!

    Curtir

  3. […] conferir, e para saber quem já publicou o conteúdo atualizarei os links com este emoji (✅).✅ [Blog] A TV Vai Estragar! => Eduardo Farnezi✅ [Blog] Arquivos do Woo => Diogo Batista (Cyber Woo)✅ [Blog] […]

    Curtir

  4. Marvox disse:

    Olhaê fez uma lista excelente e mais uma vez participa com a gente. A sua última frase no SoR4 é o que espero de verdade, tomara mesmo que este ano e os próximos tragam mais surpresas boas como esta.
    Sobre o Master System apoio que você pegue o console pela orelha e tente destrinchar tudo que puder, já que existe aí um gap é melhor ainda, tudo será novidade.
    Valeu demais Farnezi!

    Curtir

  5. […] comentei no Meme Gamer 2020, adquiri um Pocket Go no fim do ano passado e com ele em mãos abraçarei a oportunidade de cobrir […]

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Categorias
Arquivos
%d blogueiros gostam disto: